Recifes de corais estão morrendo, aos montes.

Aumento de temperatura das bacias marítimas e a morte dos recifes de coral.

barreira de coraisOs recifes de corais estão morrendo aos montes por conta da elevação das temperaturas das bacias marítimas. Não é a primeira vez que o fenômeno de descoloração acontece e certamente não será a última. Em algumas décadas, os recifes de corais podem ser extintos — uma fatalidade da mudança climática.

Os corais são parte animais, parte vegetais e parte minerais. Os pólipos, animais que vivem dentro dos corais, secretam exoesqueletos de carbonato de cálcio para proteger suas parceiras microscópicas (chamadas de zooxantela).

A moeda de troca das zooxantela é a fotossíntese, alimentando o hospedeiro com açúcares, aminoácidos e outros produtos orgânicos. Essa simbiose funcionou por milhares de anos, mas agora a elevação das temperaturas do oceano está arruinando a relação.

Quando o oceano fica um pouco mais quente, a zooxantela começa a produzir radicais de oxigênio prejudiciais aos pólipos, que respondem expulsando-as. E é assim que os corais ficam brancos e param de crescer. E a não ser que a zooxantela volte, o coral morre.

corais

O branqueamento do coral é a morte dos pólipos responsáveis pela construção dos recifes de coral, devido a problemas ambientais, como a mudança do clima .

No entanto a mudança do clima não é a única causa do branqueamento dos corais, embora as variações de temperatura que podem ocorrer numa área oceânica, sem estarem ligadas diretamente àquele fenômeno, também podem causar este problema, uma vez que os corais necessitam para viver de uma gama de temperaturas muito pequena; por isso, um El Ninho pode provocar o branqueamento na área afetada por aquele fenômeno. Desastres locais, como derramamentos de produtos químicos, diminuição da salinidade por uma cheia próxima, ou o assoreamento de um recife também podem causar a morte da colônia.

(Fontes: Wikipédia e Yahoo)